Buscar

Recebimento de NFe é processo fiscal mais automatizado em empresas.



Executivos das áreas fiscal e tributária de empresas brasileiras automatizaram, com o uso de tecnologias, principalmente processos de recebimento de notas fiscais eletrônicas (NFe), cálculos de tributos e apurações de impostos devidos. É o que revela uma pesquisa da Arquivei e da Dootax, ambas empresas de soluções para o setor.


O estudo busca revelar o nível de maturidade dessas empresas, no que tange a adoção de tecnologias para a automação de processos que envolvem documentos fiscais. Foram ouvidos 67 executivos C-level dos setores de serviços (61,19%), indústria (19,4%) e varejo (14,93%) no Brasil em outubro de 2020. Todos atuam em tarefas relacionadas a tributos das áreas de contabilidade, financeiro, jurídico tributário e administrativo em empresas de diferentes regiões do país.


A pesquisa revela que o recebimento automático de NFe é comum para 73% dos líderes, enquanto 16,42% dos entrevistados apenas afirmaram não ser automatizada. 10,45% disseram não ser, mas gostariam que fosse.


Pouco menos da metade (47,76%) disseram usufruir de automação para o cálculo de tributos, enquanto 32,84% afirmaram não possuir, porém gostariam. Quanto à apuração de impostos, 43,28% confirmaram trabalhar com processos automatizados, enquanto 38,81% disseram não ser, porém gostariam que fossem automáticos.


"Considerando que grande parte dos executivos C-Level entrevistados (74,6%) disseram em nosso levantamento que farão investimentos em tecnologias de automação ainda em 2021, certamente muitos deles poderão comprovar a relevância do uso de tecnologias de automação para gestão de documentos fiscais", acredita Isis Abbud, co-fundadora e COO da Arquivei.


Menos comuns:


Pouco mais de 3 em cada 10 entrevistados (34,33%) disseram contar com automação para a geração automática das obrigações acessórias; enquanto a maioria (46,27%) afirmou não ser automático, mas que gostariam que fosse.


O número de empresas que contam com automação para o pagamento de tributos ainda é baixo (28,36%), de acordo com os líderes C-Level que responderam à pesquisa. Cinco em cada dez (50,75%), afirmaram não ter processos automáticos para este tema, mas que gostariam que fosse automatizado; enquanto 20,9% apenas afirmaram não ser automatizado.


Fonte: CIO

2 visualizações0 comentário